Blog do Cavalcanti



O que Fazer Nesta Crise?   (Por Stephen Kanitz)

Toda crise tem sete fases:

Fase 1. Não há problema na economia, diz a autoridade econômica, é tudo boato.
Fase 2. Sim, temos um problema mas tudo está sob controle.
Fase 3. O problema é grave mas medidas corretivas já foram tomadas.
Fase 4. O problema é muito grave mas as medidas emergenciais surtirão efeito.
Fase 5. Pânico geral e salve-se quem puder.
Fase 6. Comissões de inquérito e caça aos culpados.
Fase 7. Identificação e prisão dos inocentes.

Os Estados Unidos e a Europa estão na fase 5. Brasil, China e Índia estão na Fase 3. Precisamos nos proteger contra a possibilidade de chegarmos na Fase 5, quando basta um entrevistado na televisão afirmar "que esta crise é igual ou pior que a de 1929", como vários já falaram, ou escrever no jornal "as conseqüências da crise chegaram definitivamente no Brasil", como já foi publicado, e gerar pânico por aqui.
Não, a crise ainda não chegou no Brasil, ainda estamos na Fase 3 e mesmo se crescermos 0% este ano, o que ninguém prevê, toda empresa irá vender a mesma coisa no ano que vem. Sua promoção pode estar em risco mas não o seu emprego.
Ademais esta crise nada tem a ver, nem terá, com a severidade da crise de 1929, quando 25% dos trabalhadores perderam seus empregos e que durou até 1940 com 14%. Na pior das hipóteses, o desemprego nos Estados Unidos aumentará 3%, mesmo assim só por 24 meses.
Se tivessem líderes administrativos socialmente responsáveis, eles já teriam ido a público garantir que manteriam o nível de emprego de suas empresas nos próximos 12 meses. Hoje custa mais para se treinar um novo funcionário do que para mantê-lo fazendo algo por 12 meses.  
Depois que Alan Greenspan e Nouriel Roubini saíram dizendo que a crise era igual à de 1929, todos os americanos pararam de gastar, aumentando sua poupança e prevendo o pior.  Ninguém sabe quem serão os 25% de desempregados. Quando 100% dos consumidores param de gastar por um único mês, cria-se uma espiral recessiva imprevisível. Outra alternativa seria alertar os 3% que talvez sejam demitidos para economizar, para que os 97% possam manter normalmente suas compras evitando a espiral recessiva.
Na crise de 1929, 4.000 bancos quebraram, e a mera referência a 1929 como fizeram Greenspan e Roubini, leva pessoas leigas a correr para os bancos, o que aconteceu agora na Europa.
A imprensa perdeu a capacidade de filtrar e processar informação premida pelo tempo exíguo para colocar tudo na internet. Publicam o que vier, especialmente se for notícia ruim.
Nenhum banco comercial irá quebrar, nenhum ainda quebrou nos EEUU, e mesmo se forem um ou dois, nada se compara com 4.000. Bancos sempre quebram mas ninguém percebe. Mesmo se quebrarem, o seu dinheiro, ao contrário de 1929, está no fundo DI e não no Banco. O Fundo DI está no SEU NOME e dos demais cotistas, e se um banco brasileiro quebrar, o que não vai acontecer, seu dinheiro está salvo. No máximo você terá de esperar uma semana para a troca de administrador do seu fundo. O dinheiro está aplicado em títulos do tesouro em SEU NOME, não do Banco.

Deixar o dinheiro onde está é o mais seguro. Se você resgatar o seu fundo DI, o dinheiro cai na sua conta, e se o banco quebrar justo neste dia, você vira um credor do banco. Nossos bancos estão recebendo depósitos dos apavorados estrangeiros. Muita gente em pânico está saldando suas cotas em fundos de ações e o seu gestor é OBRIGADO a vender uma ação mesmo com ela caindo 20% no dia, algo que você jamais faria.
Acionistas majoritários não estão em pânico, nem podem nem querem vender suas ações. Só os minoritários se sentem uns idiotas porque não venderam na "alta".
Não temos bancos de investimento no Brasil. De fato,
Roberto Campos implantou neste país este mesmo modelo americano que está ruindo, mas felizmente foi uma lei que "não pegou". Problema a menos.
Só temos bancos comerciais, e estes são muito bem controlados pelo Banco Central. Além do mais, nossos bancos têm dono, e por isto estão pouco alavancados,
4 a 5 vezes, contra 20 a 25 vezes dos bancos de investimentos americanos.  
O Brasil não está alavancado. Nossos créditos diretos ao consumidor não passam de 36% do PIB, e devem crescer para 40% no ano que vem. Os Estados Unidos estão alavancados em 160% do PIB e é esta desalavancagem súbita que está causando problemas.
Nosso Banco Central, adotou o que venho alertando há anos a países e famílias - a política de ter reservas para os dias de crise e hoje temos US$ 200 bilhões. Pela primeira vez o Brasil tem reservas para sustentar uma crise duradoura, sem ter que se endividar para cobrir furos de caixa.
Temos um sistema financeiro dos mais modernos e rápidos do mundo implantado devido à inflação galopante dos anos 90. Nos Estados Unidos demora-se duas semanas para se descontar um cheque entre bancos, por isto o sistema travou. Nenhum banco confia em outro banco numa crise destas.
Esta é a hora para disseminar a nossa força, as nossas reservas, a competência de Henrique Meirelles, primeiro administrador financeiro (Coppead) a comandar o nosso Banco Central, e já se nota a diferença. Está na hora de mostrarmos ao mundo que como a China e Índia, nós vamos crescer via mercado interno, com produtos populares, tese que há anos venho defendendo.
Esta é a hora de mostrar o que DÁ CERTO no Brasil em vez de conseguir fama no rádio e na televisão mostrando o que poderia dar errado.
Lembre-se que os verdadeiros culpados já estão se movimentando para culpar os inocentes, e assim saírem incólumes e mais poderosos.

Stephen Kanitz
stephen@kanitz.com.br


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 06h55
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




No próximo domingo 55 presos provisórios recolhidos no Presídio Central de Porto Alegre (PCPA) e com domicílio eleitoral em Porto Alegre irão votar para a Prefeitura da capital. Como já havia acontecido no primeiro turno, o TRE disponibilizará uma urna eletrônica no local, que funcionará no mesmo horário das demais.
Estão aptos a votar aqueles presidiários que não possuem condenação transitada em julgado, ou seja, aqueles que são autuados em flagrante delito, ou cumprindo mandado de prisão preventiva que irão a juri popular, ou condenados por sentença passível de recurso. Na outra penitenciária de Porto Alegre - Penitenciária Feminina Madre Pelletier - não foi atingido o número mínimo exigido pelo TRE de 50 presas com domicílio eleitoral em Porto Alegre, para a colocação de uma urna eletrônica.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 12h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Bastaram alguns telefonemas para o secretário-geral de Governo, Erik Camarano, para ser abortado o projeto anunciado de construir um albergue feminino onde hoje estão prédios abandonados do Vida Centro Humanístico, na Avenida Baltazar de Oliveira Garcia. Os telefonemas partiram de pessoas da comunidade local, mas não foram divulgados os nomes de pessoas ou entidades. O projeto estava pronto e na quarta-feira o secretário Edson Goularte havia informado que a obra seria iniciada, como uma das primeiras medidas adotadas pela Força-tarefa dos presídios.
Assim fica difícil resolver o problemão que enfrentamos de falta de vagas no sistema penitenciário, principalmente para o regime semi-aberto na região metropolitana.
? Ainda não sabemos onde o albergue feminino será construído ? admite Camarano. Edificado em uma área de 120 mil metros quadrados, o Vida Centro Humanístico presta atendimento a crianças, adolescentes, jovens, famílias e idosos residentes na Zona Norte. O principal objetivo do centro é a ?inclusão social através de ações de saúde, educação, esporte, defesa de direitos, lazer e cultura?.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 06h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Mais um curso Cozinha Brasil está sendo proporcionado nesta semana pelo Sesi em parceria com a Susepe. Agora é a vez do Presídio Central de Porto Alegre receber o caminhão do Sesi, onde estão sendo ministradas as aulas para 58 detentos. O projeto Cozinha Brasil ensina a manipular alimentos e utilizar alguns gêneros que normalmente são jogados no lixo. A coordenadora do projeto, representando a Susepe é a nossa colega Erminda Torres, Monitora Penitenciária e irmã do exelente cantor nativista Daniel Torres, que tem abrilhantado as solenidades de encerramento dos cursos que já se realizaram na Penitenciária Modulada de Montenegro e na Penitenciária Feminina Madre Pelletier.


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 06h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Verbas para a criação de vagas no sistema prisional

Ontem a Força-tarefa dos presídios esteve novamente reunida, no Galpão Crioulo do Palácio Piratini e anunciou R$ 31 milhões para reformas e ampliações no sistema penitenciário gaúcho, gerando 454 novas vagas. Também foram discutidas com representantes da CEEE alternativas para fazer funcionar a geração de energia elétrica nos novos pavilhões do Presídio Central de Porto Alegre (PCPA), com capacidade para recolher 492 presos. A expectativa é a de que até dezembro a obra possa ser inaugurada.
Segundo o secretário Edson Goularte, ? essa medida faz parte do esforço para dar mais agilidade nas ações de ampliações de vagas. Mostra que o trabalho da força-tarefa começou a produzir resultados.

Onde o recurso será aplicado

> Transformação do Centro Vida, na Capital, em albergue feminino, com capacidade para 266 detentas
> Reforma e ampliação do albergue de Carazinho, com abertura de 64 vagas
> Reformas e ampliação do presídio de Novo Hamburgo, com 74 novas vagas
> Ampliação do módulo de saúde no Complexo Penitenciário de Charqueadas, com acréscimo de oito leitos
> Construção de uma terceira cama por cela na Penitenciária Modulada de Ijuí, com a criação de pelo menos 50 vagas
> Elaboração de um projeto para construção de um novo módulo de saúde em Charqueadas


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mais uma vez os moradores da simpática comunidade de Fazenda Pereira, localizada junto ao Instituto Penal de Mariante (IPM) estão assustados. Sempre que a população carcerária do IPM chega perto dos 300 apenados, começam a ocorrer problemas. No dia 15 de setembro ocorreu um assssinato e nesta semana ocorreram mais dois naquela localidade, com os corpos sendo encontrados nas proximidades do IPM, não se descartando que tenham acontecido ainda dentro do estabelecimento e desovados fora da área. Não é a primeira vez que isso ocorre. No ano passado eu e o então superintendente substituto Antonio Bruno Trindade estivemos reunidos com representantes da comunidade local, sendo solicitado que ao menos fosse reduzido o contingente de apenados no instituto. Isso até foi cumprido, o IPM retornou a patamares abaixo dos 250 apenados recolhidos e a situação havia acalmado um pouco, entretanto, nas últimas duas semanas a Susepe tem recebido mandados judiciais determinando que vários presos que progrediram de regime sejam alojados em estabelecimentos apropriados. Como as vagas são limitadas, as casas dos regime aberto e semi-aberto acabam se transformando em depósitos de detentos.Há bastante tempo eu afirmo: temos que repensar a respeito da progressão de regime de cumprimento da pena. A grande maioria dos apenados da região metropolitana almeja a progressão de regime apenas para terem mais liberdade para lidar com materiais ilícitos e mais acesso a bebidas alcoólicas e drogas, ou seja, mais condições de continuarem a delinqüir. Sequer cogitam ter de trabalhar. São pessoas vindas de conglomerados urbanos, 90% de vilas da periferia, não tendo o menor perfil para o trabalho agrícola. Portanto, o que ganharão, em termos de ressocialização, estes apenados em colônias penais agrícolas como o IPM ou a Colônia Penal Agrícola (CPA)? A superlotação é só mais um aspecto que prejudica o trabalho, mas mesmo que tivéssemos muito mais vagas, considero que o princípio da progressibilidade da pena é fantasioso, pois na prática não atinge os resultados a que se propõe.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Amanhã e sexta-feira compenso os dois dias de férias em que compareci ao trabalho. Preciso aproveitar esse tempo para colocar alguns assuntos particulares em dia e para preparar alguns trabalhos para a nova função que exercerei na Corregedoria-Geral do Sistema Penitenciário a partir da próxima segunda-feira. Por um lado estou um pouco frustrado, pois não consegui fazer a metade do que pretendia como Delegado Penitenciário das Casas Especiais. Mas, por outro lado, alguns avanços acho que consegui. Historicamente, as direções das Casas Especiais sempre funcionaram com autonomia excessiva e fui o primeiro a estabelecer uma coordenação buscando padronizar alguns procedimentos. Em termos profissionais a experiência como delegado foi extraordinária e será relevante para desempenhar a função de Corregedor Especial.

Retornar à Corregedoria representa para mim uma enorme felicidade, pois foi o trabalho com o qual eu mais me identifiquei. Consegui angariar um respeito muito grande junto à equipe de corregedores e isso muito me gratifica. Inclusive, fui convidado para retornar pela atual Corregedora-Geral, Mônica Pires da Silva, que foi uma das integrantes da equipe que comandei.

Amanhã haverá um churrasco no galpão da Adesi, em homenagem ao meu retorno e do meu amigo Homero (ele assumirá como Corregedor Penitenciário). Fico imensamente feliz por poder trabalhar com profissionais do mais alto quilate, em todos os sentidos.

Então é isso, nova missão, nova vida. É sempre bom mudar, isso renova o espírito.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 17h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Governo do Estado libera mais de R$ 3 milhões para obras em presídios

O governo do Estado liberou, nesta quarta-feira R$ 3 milhões e 159 mil para obras no sistema penitenciário. A informação foi transmitida pelo secretário-adjunto da Secretaria Geral de Governo, Milton Stella, que representou a governadora Yeda Crusius em reunião semanal da Força-tarefa em favor dos presídios, na tarde desta quarta, no Galpão Crioulo do Palácio Piratini. O secretário de Segurança Pública, Edson Goularte, ao abrir o encontro, informou que a transferência de local das reuniões foi desejo da governadora e acrescentou que o objetivo é buscar condições para amenizar os problemas do sistema carcerário. Falou sobre a participação de cada órgão envolvido e solicitou a apresentação de sugestões e providências adotadas para apressar as soluções na área penitenciária. Ricardo Munhoz, representando a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), falou da identificação de problemas no transformador do Presídio Central e apresentou medidas emergenciais. Referiu-se à realização de testes elétricos, durante uma semana, para definir o tipo de subestação de energia adequado para o local. Acrescentou que até o final do ano estará em funcionamento, conforme foi estabelecido pela equipe da Força-tarefa. Vários outros assuntos foram tratados, como a questão da saúde nos presídios, abordada pela secretaria-adjunta da Saúde, Arita Bergmann, e pelo prefeito de Charqueadas, representando a Famurs, Jaime Guedes da Silveira. Uma sugestão apresentada é criar uma ala no Hospital de Charqueadas, específica para atender o complexo penitenciário - de seis casas prisionais -, além de ampliar as equipes de Saúde. O secretário da Segurança, Edson Goularte, acrescentou que a meta para 2008 é chegar a oito equipes e para 2010 criar 32 equipes de Saúde Prisional. O superintendente da Susepe, Paulo Zietlow, lembrou que, nesta quinta-feira (23), inicia-se a ocupação da nova penitenciária de Caxias do Sul, com a transferência gradativa de presos da Penitenciária Industrial, também localizada no município. Serão removidos inicialmente 76 detentos, sendo 30 provisórios, 30 condenados e 16 em isolamento. Participaram também da reunião o secretário-adjunto da Segurança, Rubens Pinto; o juiz da Vara de Execuções Criminais, Luciano Losekan; a promotora do Ministério Público Cynthia Jappur; e a defensora Pública Nilda Fernandes, além de representantes das Secretarias de Segurança, Administração, Obras Públicas, Meio Ambiente, Fazenda, Saúde e da Susepe

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 15h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Hoje pela manhã estive no Instituto Psiquiátrico Forense (IPF), acompanhando a primeira visita de inspeção realizada pelo juiz de direito Sidinei Brzuska, designado pelo Tribunal de Justiça como juiz fiscalizador dos estabelecimentos penais da região metropolitana.
Informalmente ainda, o magistrado externou preocupação com as más condições do IPF, principalmente nas unidades fechadas, devido ao problema do transbordamento do esgoto, da falta de camas e colchões e das más condições estruturais de algumas dependências.
Será necessário agilizar a execução de algumas obras e serviços, como a limpeza das fossas sépticas (há processo em andamento), a reforma da rede elétrica e hidráulica e a reforma da Unidade A. Também haverá cobranças em relação a compra de medicamentos, já que as próximas aquisições suprirão as necessidades de no máximo um mês.
Pelos contatos que tive com o juiz Brzuska ontem em Charqueadas e hoje no IPF, percebo uma preocupação em atuar construtivamente, no sentido de que as diversas carências detectadas em cada casa prisional sejam sanadas com a maior rapidez possível, ao contrário de algumas autoridades, que parecem visitar as prisões apenas com o intuito de cumprir com uma obrigação e para transferir responsabilidades.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 14h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Hoje estive em Charqueadas visitando a Penitenciária Estadual de Charqueadas (PEC) e depois fui até a Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ), juntamente com o diretor da PEC Joel Lopes de Oliveira e seu substituto Joel Führ. O objetivo foi o de participar de uma reunião-almoço com o juiz de direito Sidinei Brzuska, responsável pela fiscalização das prisões da região metropolitana. Também compareceram os diretores da Penitenciária Modulada Estadual de Montenegro (PMEM) e da Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas (PMEC). O objetivo do encontro foi o de acertar uma série de procedimentos relativos às transferências de presos de uma casa prisional para outra, já que a PEJ e a PMEM passaram para a jurisdição da Vara de Execuções Criminais da comarca de Novo Hamburgo, enquanto que as demais casas prisionais de Charqueadas continuam recolhendo presos da VEC de Porto Alegre.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 15h29
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Notícia da Secretaria da Segurança Pública

A SSP apresentou oficialmente, na tarde desta terça-feira o Sistema de Consultas pelo telefone 0800. A ferramenta tecnológica permite averiguar, por meio de ligação de telefone fixo ou celular, a situação de cada cidadão, veículo e condutor, nos Sistemas da Segurança Pública e do Detran.
Para a utilização da nova ferramenta, o servidor deve ligar o número 0800 642 0190 e digitar no telefone o número da própria carteira de identidade e uma senha. A seguir, digita o número da identidade da pessoa abordada e recebe rapidamente qual é a situação do pesquisado no banco de dados da SSP.
A apresentação do sistema foi feita pelo capitão Adriano Bokerskis, chefe do Departamento de Tecnologia da Informação, e acompanhada pelo secretário-adjunto da Segurança Pública, Rubens Edison Pinto, o diretor do Departamento de Gestão da Estratégia Operacional, tenente-coronel Marco Antônio Moura dos Santos, diretores e coordenadores de outros departamentos da Pasta e das vinculadas, além de profissionais de Imprensa.
O sistema de busca de informações sobre a pessoa, veículo e condutor é todo automatizado por meio de um software, o que permite a redução de recursos humanos na atividade de suporte ao policial. Também desonera as consultas do sistema de radiocomunicação e ao número 190. Anteriormente, a cada abordagem, o agente ligava para o telefone 190 em busca de informações, o que, agora, deixará de ocorrer na maioria dos casos, deixando o serviço mais liberado para as chamadas de emergência da sociedade. Outras vantagens são a precisão, segurança de acesso e agilidade no atendimento.
A Brigada Militar e a Polícia Civil definirão quais os servidores dos referidos órgãos que terão acesso ao novo serviço, sendo o critério principal para os que desenvolvem atividades operacionais. O sistema funcionará 24 horas, durante os sete dias da semana, ininterruptamente, em todo o Rio Grande do Sul (prefixos 51, 53, 54 e 55) e pode ser discado, inclusive, de outros estados do Brasil.O projeto-piloto ? em uso atualmente pelo Comando de Policiamento da Capital (CPC) ? permite o atendimento de até 60 chamadas por minuto. Na segunda fase será possível atender até 600 ligações telefônicas por minuto.
ParceirosA empresa Brasil Telecom foi á vencedora da licitação, iniciada em novembro de 2007, para o desenvolvimento do serviço de telefonia da Unidade Remota de Atendimento do projeto criado na SSP. Outros parceiros são o Detran, que disponibiliza o banco de dados, a Procergs, no auxílio ao desenvolvimento de ferramentas, e a empresa Toi, subcontratada da Brasil Telecom.


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 11h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Interessante trabalho de pesquisa sob o título: Análise dos Custos e Conseqüências da Violência no Brasil, realizado por Daniel R. C. Cerqueira**, Alexandre X. Y. Carvalho**, Waldir J. A. Lobão** e Rute I. Rodrigues**

** Daniel Cerqueira e Rute Rodrigues são pesquisadores da Diretoria de Estudos Macroeconômicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Alexandre Xavier Ywata de Carvalho é Coordenador de Estudos Espaciais, Diretoria de Estudos Regionais, Urbanos e Fiscais do Ipea, Waldir Lobão é professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence/IBGE).

Clique no link abaixo
http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/publicacoes/tds/td_1284.pdf

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 11h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Pequena Parcela

Que eu continue a acreditar no outro mesmo sabendo de alguns valores tão estranhos que permeiam o mundo!

Que eu continue otimista...mesmo sabendo que o futuro que nos esperanem sempre é tão alegre!

Que eu continue com a vontade de viver mesmo sabendo que a vida é em muitos
momentos, uma lição difícil de ser aprendida!

Que eu permaneça com a vontade de ter grandes amigos,
mesmo sabendo que com as voltas do mundo,
eles vão indo embora de nossas vidas!

Que eu realimente sempre a vontade de ajudar
as pessoas, mesmo sabendo que muitas delas
são incapazes de ver, sentir, entender ou utilizar esta ajuda!

Que eu mantenha meu equilíbrio, mesmo
sabendo que os desafios são inúmeros ao longo do caminho!

Que eu exteriorize a vontade de amar, entendendo que amar não é sentimento de posse...É sentimento de doação!

Que eu sustente a luz e o brilho no olhar,mesmo sabendo que muitas coisas que
vejo no mundo, escurecem meus olhos!

Que eu retroalimente minha garra, mesmo sabendo que a derrota e a perdasão ingredientes tão fortes quanto o Sucesso e a Alegria!

Que eu atenda sempre mais a minha intuição,que sinaliza o que de mais autêntico possuo!

Que eu pratique sempre mais o sentimento
de justiça, mesmo em meio à turbulência dos interesses!

Que eu não perca o meu forte abraço e o distribua
sempre; que eu perpetue a Beleza e o Brilho
de ver, mesmo sabendo que as lágrimas
também brotam dos meus olhos!

E que eu manifeste o amor por minha família, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exige muito para manter sua harmonia!

Que eu acalente a vontade de ser grande,mesmo sabendo que minha parcela
de contribuição no mundo é pequena!

E, acima de tudo...Que eu lembre sempre que todos nós fazemos
parte desta maravilhosa teia chamada Vida, criada por Alguém bem superior a todos nós!

E que as grandes mudanças não ocorrempor grandes feitos de alguns e, sim, nas pequenas parcelas cotidianas de todos nós!
Chico Xavier


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 03h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Finalmente a nova Penitenciária Regional de Caxias do Sul receberá os primeiros presos. A ocupação está prevista para a próxima quinta-feira. A cadeia tem 432 vagas, mas inicialmente recolherá por volta de 76 detentos da Penitenciária Industrial de Caxias do Sul (a antiga). Estes apenados foram escolhidos de acordo com o perfil mais light, além de serem voluntários, segundo os que estão comandando a operação. A partir de novembro, mais 40 presos que estão cumprindo pena em prisões de Charqueadas serão também trasnsferidos para a nova unidade de Caxias do Sul. A ocupação total ainda não tem prazo estabelecido. Esta penitenciária exige algum tempo de adaptação não só para os presos, mas principalmente aos servidores da segurança, pois tem características bem diferentes daquelas com as quais estamos acostumados a trabalhar. Manda o bom senso que tudo seja feito com muito critério e cuidado.


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 17h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Há algo em gestação na superintendência. Vem aí um pacotão. Ao que tudo indica, teremos algumas novidades e até surpresas. Dentes rangerão, pernas tremerão, sorrisos vão se abrir, lágrimas vão rolar pelas faces, ou seja, emoção é o que não vai faltar. Afinal, ainda estamos em período de transição de governo e devemos estar preparados para as previsíveis mudanças que sempre acontecem...

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 16h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ainda atuando como delegado penitenciário das casas especiais realizei algumas visitas há alguns dias. Estive no Instituto Penal Irmão Miguel Dario (IPIMD) e depois estive no Instituto Psiquiátrico Forense.
No IPIMD verifiquei as obras de reconstrução do estabelecimento, já que boa parte foi destruída no incêndio ocorrido no ano passado. As verbas utilizadas na reconstrução são fruto de uma parceria com a Força-Tarefa Bingo do Ministério Público estadual, comandada pelo Promotor de Justiça Gérson Daiello, que com sua interferência, aloca recursos provenientes de multas aplicadas nos Juizados Especiais Criminais.


O IPF está tendo problemas graves em relação ao esgoto que transbordou nos pátios, impedindo que os pacientes possam tomar sol, situação que se estende por dois meses. A solução depende da liberação de recursos para a limpeza das fossas sépticas, mas a lerdeza da nossa estrutura de gestão administrativa afronta o bom senso. A casa corre o risco de interdição judicial se o problema não for sanado nos próximos dias.

O corregedor especial Humberto Periolo também esteve acompanhando as visitas realizadas e também pretende gestionar junto às chefias no sentido de que este grave problema seja resolvido o mais rápido possível.





Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 05h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Nossa segurança provavelmente seria bem melhor se algumas leis já tivessem saído do papel. Milhares de veículos não teriam virado sucata, agências bancárias não teriam sido assaltadas, os presos dos regimes aberto e semi-aberto estariam melhor monitorados e não poderiam cometer crimes e os crimes cometidos por motoqueiros talvez não acontecessem. Também haveria maior número de policiais militares no patrulhamento e os presídios estariam com melhor segurança, pois o Estado seria obrigado a indenizar vítimas de assassinatos praticados por foragidos. Quem sabe o Rio Grande do Sul estaria próximo do ideal nessa área. Acredite quem quiser. Esse levantamento foi realizado pelo repórter Mauro Graeff júnior sobre as leis que não saíram do papel, devido a entraves burocráticos, ou por que não são cumpridas, como no caso da lei que obriga motoqueiros a tirar o capacete ao ingressarem em um posto de gasolina. Também pudera, se o cara quer cometer um assalto, vai ligar para uma lei dessas? É lógico que algumas leis, apesar das excelentes intenções, são difíceis de colocar em prática. A que prevê indenizações a vítimas de foragidos da Justiça, por exemplo. Por mais que a idéia esteja correta, são tantos os crimes de sangue praticados por evadidos do sistema penal que uma legislação dessas tem potencial para quebrar os cofres do Estado.
Mas o pior caso parece ser o da chamada Lei dos Desmanches. Falta uma explicação racional para que uma legislação dessas ainda não tenha decolado. Ou será que algum lobby obscuro se transformou em obstáculo para a sua efetivação? O certo é que nada menos que três dezenas de milhares de carros foram subtraídos por ladrões, desde que ela foi aprovada. Pobre cidadão.

As leis

http://zerohora.clicrbs.com.br/pdf/5279155.pdf

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 16h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Unificação das Polícias
Passam os anos e neste país ainda temos, em cada Estado, duas polícias, a civil e a militar. Duas estruturas caras que com a unificação, com certeza, proporcionaria uma grande economia, a começar pelas funções gratificadas de chefias. Mas está aí o maior entrave. Nenhuma corporação quer perder nada, pois só olham para seus próprios umbigos. Seria salutar se fizessem a seguinte pergunta: o que é melhor para a sociedade? Mas só se perguntam sobre o que é, ou parece melhor para si. E a sociedade que agüente os conflitos que acontecem em todo o país. Está faltando visão e comando aos gestores, pois as necessárias mudanças não poderiam ficar por conta da vontade das corporações. Desta forma a situação vai permanecer como está. E os contribuintes ...


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 15h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Filha gremistona
Grêmio, nada pode ser maior

Algumas grandes alegrias da minha vida, entre tantas outras.
Em 1987 nasceu minha filha. Dei-lhe o nome de Laura. Acho que fui muito feliz na escolha. Mas não podia imaginar que iria ser tão linda. Desde os primeiros minutos de vida, aqueles olhos azuis cintilando. Imagem guardada para sempre na memória. Não me canso de olhar nesses olhos. Sua escolha clubística não poderia ser outra. GREMISTONA.
Vai em todos os jogos, gosta de ir pra galera, fazer avalanche...
Outro dia, antes de mais um jogo do imortal tricolor, fomos almoçar e Laura estava com a camisa do Timão. Linda aquela camisa tricolor e o azul dos olhos combinando.
Momentos felizes, consagradores como esse é que dão um sabor todo especial à vida. Fiquei feliz por ser gremista, por ter uma filha tão linda e por ela ter feito a escolha certa. Não iria combinar os seus olhos azuis com aquela camisa cor de moranguinhos do arquirival....


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 18h20
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Também estou de mudança. Em princípio, tudo acertado e deverei retornar para a Corregedoria-Geral do Sistema Penitenciário à função que exerci por três anos, antes de assumir como delegado penitenciário das Casas Especiais. Assumirei como corregedor especial, função com a qual mais me identifiquei no sistema penitenciário. Penso na Corregedoria como uma ferramenta do sistema a ser utilizada primordialmente na qualificação do servidor penitenciário, na melhoria das condições de trabalho do pessoal que atua na base do sistema, na depuração e, consequentemente, na melhoria dos serviços prestados à sociedade. Essa é a nossa nobre função como servidores públicos: a de prestar serviços com qualidade.
Este período de um ano e meio em que atuei como delegado penitenciário pode ser considerado como um intervalo em que adquiri conhecimento. Tomei contato bem próximo com a crua realidade enfrentada nas casas prisionais que coordenei. São as mais complexas, não é à toa que são chamadas de casas especiais. São ao todo dezesseis estabelecimentos, que recolhem em torno de 45% de toda a população carcerária do Estado e onde trabalham aproximadamente 40% dos servidores do quadro penitenciário. Isso por que o Presídio Central e a Penitenciária Estadual do Jacuí estão com servidores da Brigada Militar, pois do contrário o percentual ficaria próximo dos 50% do pessoal. Vou para a Corregedoria com mais condições e conhecimento do que antes. Procurei me firmar como uma referência como delegado penitenciário, função nunca antes exercida na história da Susepe. As casas do interior do Estado sempre tiveram uma coordenação. Antes da criação das delegacias era a Inspetoria Penitenciária que comandava cada região. Depois vieram os delegados, mas as Casas Especiais sempre tiveram mais autonomia. Por isso, cada uma se transformou em uma realidade à parte, ou, como alguns dizem, como uma Susepe à parte.
Pois bem, agradeço àqueles que entenderam e respeitaram o meu trabalho e me ajudaram. Alguns foram resistentes e tentaram continuar a atuar de forma independente, como se fossem donos de sua atividade profissional, não querendo se reportar a superiores. Mas isso é do jogo. Bola para frente e continuarei lutando por melhorias no nosso meio de trabalho, procurando elevar o nome da Superintendência dos Serviços Penitenciários perante a sociedade gaúcha.
Algumas modificações nas direções das Casas Especiais já estão sendo feitas, sem a participação deste delegado penitenciário. São escolhas. Na minha opinião, as chefias se diferenciam pelas escolhas, entre outras qualidades. Estas escolhas ditarão o destino daqueles que tomam decisões. Dessas decisões virão o sucesso ou o fracasso. Apesar do fato de estar deixando a função de delegado, até hoje ainda continuo atuando como tal. Mas não tenho participado dessas escolhas, faço questão de afirmar, pois não concordo com a maioria. Então, devo apressar minha saída e trabalhar em um setor em que sou respeitado. Más escolhas e falta de respeito profissional eu não admito.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 17h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A morte do músico Diógenes aconteceu no ano de 1992 e eu estava naquela época trabalhando na Inspetoria Penitenciária. Houve grande repercussão junto à opinião pública e as investigações redundaram em denúncias contra servidores penitenciários e militares, redundando em algumas condenações, mas eu pensava que o caso já estava encerrado. Para minha surpresa, ontem o agente penitenciário Jorge Macalão foi condenado a 23 anos e seis meses de prisão e o ex-servidor da Susepe, Enio Martins, que seria também julgado teve o juri adiado.

A notícia

O agente penitenciário Jorge Rosa Macalão foi condenado a 23 anos e seis meses de prisão por envolvimento na morte do músico Diógenes Gomes de Lima, em março de 1992. Depois de preso sob suspeita de estupro, Diógenes, capitão da reserva do Exército, 31 anos, foi abusado sexualmente por apenados e acabou se enforcando, tornando-se vítima de um dos casos mais nebulosos já ocorridos nas prisões gaúchas. Conforme o promotor Luís Antônio Portela, o júri condenou Macalão por atentado violento ao pudor e por induzir Diógenes ao suicídio. O julgamento, que começou às 9h de ontem e só terminou à 0h de quinta-feira, ocorreu na 1ª Vara do Júri. Após a divulgação da sentença, segundo Portela, a juíza Elaine Maria Canto da Fonseca determinou que Macalão fosse recolhido imediatamente à prisão. O outro réu que seria julgado ontem, o ex-agente penitenciário Enio Dutra Martins, teve o júri adiado para 4 de novembro. O advogado dele, Claiton Mário Ciceri, não compareceu, pois foi hospitalizado com uma crise de diabetes. Macalão e Martins já haviam sido julgados em 1998, mas o júri foi anulado pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ). Na primeira sentença, Macalão foi condenado a seis anos por permitir atentado violento ao pudor contra Diógenes. Ontem, ao ser interrogado pela juíza, Macalão garantiu inocência e disse que ao ver Diógenes sendo hostilizado por cerca de 30 presos na cela da triagem do Presídio Central de Porto Alegre, retirou o músico dali e o colocou no isolamento. ? Conversei com o Diógenes, dei água e lanche para ele durante o meu plantão. Quando voltei ao trabalho no dia seguinte, ele estava no meio de presos no pavilhão A, completamente transtornado, se batendo nas grades. Eu, de novo, levei ele para o isolamento. Nunca soube quem transferiu ele para o meio dos presos, porque não foi anotado no livro de registros ? garantiu Macalão.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h20
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Deputada compara Presídio Central a campo de concentração
Comitiva conferiu nesta tarde as instalações do local

Agora virou moda. Então quer dizer que até acontecer a CPI do Sistema Carcerário, que considerou esse presídio um dos piores do país, ninguém por aqui sabia como estava o Presídio Central? E agora resolveram visitar a maior prisão do país e ficam horrorizados?! Virou atração turística. E dê-lhe adjetivos como esse: "campo de concentração". E realmente, essa é a situação desse estabelecimento penal, mas isso vem há décadas sendo "construído", sem que nossos políticos tenham se levantado para fazer algo. Vai sair mais uma CPI? Em quem colocarão a culpa?

A notícia em relação à visita

Após uma visita de 90 minutos ao interior do Presídio Central, a deputada Stela Farias (PT), presidente da comissão de serviços públicos da Assembléia Legislativa, usou o termo ''campo de concentração'' para definir a situação de 4,7 mil presos recolhidos no local.? Não há condições mínimas de recuperação dos apenados ? disse ela.Uma comitiva de deputados gaúchos visitou nesta tarde o Presídio Central de Porto Alegre. Os parlamentares foram verificar as condições do local. O grupo é composto pelos deputados Marquinho Lang, presidente da Comissão de Direitos Humanos, Stela Farias, presidente da Comissão de Serviços Públicos, Marcos Rolim, ex-deputado, entre outros. Acompanham ainda um promotor de Justiça e o juiz Sidinei Brzuska.



Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 19h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Evolução recente e desafios da criminalidade no RS
Ênfase em Porto Alegre
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria de Planejamento e Gestão
Autores: Júlio Gregory Brunet; Luiz Tadeu Viapiana; Clayton Borges; Ana Bertê.


Estudo interessante que merece uma análise
Clicar no link abaixo

http://capacita.plugin.com.br/poafuturo/palestras/22-07/JulioBrunet.pdf

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 16h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Grande parte dos presos recolhidos no sistema penitenciário têm passagens pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Rio Grande do Sul, a Fase, mas não há um trabalho de continuidade em relação a cada infrator. Penso que o sistema penitenciário deveria atuar também no atendimento ao menor infrator. No mínimo, deveria haver um contínuo intercâmbio no desenvolvimento dos trabalhos, buscando atendimento a cada indivíduo desde o início de sua vida no crime, pois cada um dos detentos recolhidos no sistema penitenciário tem uma trajetória de vida que se reflete no seu futuro como adulto. Não deveríamos trabalhar de forma estanque, com uma estrutura trabalhando com os menores infratores, e outra, com os adultos.
Esse projeto de reestruturação que pretende o governo deveria considerar isso.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Estado projeta a construção ou reforma de 18 centros de atendimento até 2018

Depois de três revoltas de internos neste mês e o recente pedido do Ministério Público para afastar o presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Rio Grande do Sul (Fase), Irany Bernardes de Souza, o governo Yeda Crusius tenta acelerar o projeto de reestruturação do órgão. Atualmente, a Fase concentra 1.175 adolescentes infratores no Estado.
Em gestação na Secretaria Estadual da Justiça e do Desenvolvimento Social desde o início do ano, as medidas deverão ser encaminhadas para a governadora nas próximas semanas. Uma das principais ações será o fechamento do complexo Padre Cacique, na Capital.
Com prédios que datam do século 19 e palco de inúmeros motins e fugas nas últimas décadas, a estrutura será substituída por unidades menores e descentralizadas. A área atual deverá ser vendida ou permutada por outros terrenos.
A projeção é construir ou reformar pelo menos 18 unidades pelo Estado, o que seria suficiente para atender à demanda atual e destinar cerca de 500 vagas a mais para absorver os futuros ingressos. As mudanças, no entanto, não serão a curto prazo. O planejamento do governo é de atingir essa meta em até 10 anos.Uma das apostas é em tecnologia de controleSouza, que terá de responder ao MP por que solicitou a intervenção da Brigada Militar no conflito ocorrido semana passada em uma das unidades da Fase na Vila Cruzeiro, na Capital, afirma que os investimentos deverão reduzir o número de revoltas dos internos.? Imagine manter jovens a contragosto confinados. Confusões ocorrem e isso precisa ser mudado. Por isso, temos de criar espaços que ofereçam tranqüilidade. Oferecer educação, saúde e trabalho para eles. Só assim, possibilitará que tenham outros caminhos e não retornem ao crime ? diz.Luciano Dipp Muratt, promotor da Infância e Juventude que encaminhou a denúncia contra o presidente da Fase, diz que a desativação das unidades localizada na Avenida Padre Cacique é prevista há pelo menos 10 anos.? Sabemos que o problema não foi gerado neste governo. O Ministério Público, como fiscal, cobra ações pontuais do Estado, como no caso dos motins, mas também iniciativas concretas para melhorar o atendimento ? aponta Muratt, ressaltando que há dois encaminhamentos anteriores do MP sobre assistência em saúde mental e programas profissionalizantes, que ainda não foram atendidos pela Fase.Contratação de novos servidores, por meio de concurso público, e a aposta em tecnologias de controle, como câmeras de vigilância e alarme também fazem parte do planejamento.Depois de passar pelo crivo de Yeda, as mudanças na instituição seguirão para a Assembléia Legislativa. Boa parte dos recursos para a construção dos centros deverá sair do governo federal.

O que deverá ser feito

> Serão construídas ou reformadas 18 unidades. Cada uma atenderá no máximo 90 adolescentes
> Terão capacidade de atender até 1,6 mil internos em 2018. Hoje são 1,1 mil
> As estruturas atenderão às oito unidades regionais atuais (Porto Alegre, Caxias do Sul, Santa Maria, Pelotas, Passo Fundo, Santo Ângelo, Uruguaiana e Novo Hamburgo)
> Duas regionais (Santa Cruz do Sul e Osório), que hoje não têm estruturas, terão suas unidades construídas.
> A Região Metropolitana será contemplada. Provavelmente haverá unidades em Canoas, Gravataí ou Cachoeirinha e Alvorada ou Viamão.
> Na Capital, as regiões onde ocorrem mais casos envolvendo adolescentes infratores receberão unidades. Rubem Berta, Lomba do Pinheiro e Restinga estão cotadas
> As unidades Case I e II, Case Feminino e Centro Socioeducativo, localizadas na vila Cruzeiro, deverão ser reformadas
> O custo de construção de cada centro novo, segundo estimativa do governo federal, é de R$ 16 milhões.

Os novos centros

http://zerohora.clicrbs/pdf/5263464.pdf

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h03
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A primeira reunião operacional da Força-Tarefa do Sistema Prisional, realizada nesta quarta-feira (15), na Secretaria de Segurança Pública (SSP), teve como ponto básico as definições de ações de cada participante. Na abertura do encontro, o secretário Edson Goularte lembrou que a governadora Yeda Crusius quer comandar diretamente o trabalho e ressaltou que muitas das ações tratadas precisam passar pela Casa Civil. Segundo ele, o objetivo é traduzir em ações, num espaço curto de tempo, o aumento de vagas do sistema prisional no Rio Grande do Sul. Segundo Goularte, há quatro focos que deverão ser atingidos, de forma simultânea. Primeiro, a conclusão das obras da subestação de energia elétrica e a elevatória d'água, no Presídio Central, para liberar as novas alas com abertura de 492 vagas. O segundo é a agilização dos procedimentos para o início da construção das penitenciárias em Bento Gonçalves, Lajeado, Passo Fundo, Guaíba e São Leopoldo. O terceiro é a ampliação de vagas nos regimes aberto e semi-aberto, com construções e reformas de albergues. O quarto foco é tratar das interdições, que necessitam obras, nos presídios de Rio Grande, Novo Hamburgo, Montenegro e Charqueadas. Nomeações
A secretária-adjunta da Saúde, Arita Bergmann, em sua participação, anunciou que a governadora autorizou nesta quarta-feira, a nomeação de 16 profissionais para a área da saúde no Presídio Central. Enfatizou a busca de entendimento com as prefeituras para melhorar as condições físicas dos ambulatórios nos presídios. Já o secretário-adjunto da Secretaria Geral de Governo, Milton Stella, ressaltou a necessidade de reuniões setoriais para detalhar e melhor desenvolver o conjunto de ações. Segundo ele, algumas são de soluções rápidas, outras necessitam mais tempo. O secretário Edson Goularte definiu as quartas-feiras como data fixa para as reuniões da Força-tarefa e solicitou aos participantes que apresentem soluções e sugestões já na próxima semana. Participaram ainda do encontro o secretário- adjunto da Segurança Pública, coronel Edson Pinto; o chefe de Gabinete da SSP, coronel Roberto Biacchi; a diretora-geral da SSP,Clarice Pedrollo Padilha; o superintendente da Susepe, Paulo Zietlow; o juiz da Vara de Execuções Criminais Luciano Losekan; a promotora de Justiça Cynthia Jappur. Também estiveram presentes os representantes das seguintes secretarias e entidades: Paulo Terroso e Alberto Silva (Secretaria da Fazenda), Ricardo Rocha (CEEE), Maria de Fátima Bello (Secretaria da Administração), Sérgio Perotto (Famurs); Roberto Torres e Roberto Kranz (Secretaria de Planejamento), Odir Bacarin (Secretaria de Obras Públicas); Antonio Padilha (diretor da SSP), Marcelo Silva (coordenador da Gelic-SSP) e o major Cláudio Machado (Grupo de Gestão Integrada da SSP).

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 19h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Promover melhorias nas penitenciárias e atacar o déficit prisional no Rio Grande do Sul estão entre as prioridades do governo do Estado, através de ações e projetos do Programa Estruturante Cidadão Seguro. No último dia 7 de outubro, a governadora Yeda Crusius decretou estado de emergência no sistema prisional para que os recursos previstos no Orçamento possam ser aplicados imediatamente na construção e ampliação de presídios e na aquisição de equipamentos.
Na ocasião, a governadora afirmou que a situação dos presídios é considerada desumana e disse estar trazendo para si a responsabilidade de buscar uma solução para os problemas apontados. Além da abertura de novas vagas no Presídio Central - onde a governadora entregou, em agosto, carteiras de liberdade condicional a 50 detentos - , outras obras estão previstas como resultado do ajuste fiscal promovido pelo governo e do Orçamento com déficit zero para 2009, já encaminhado à Assembléia Legislativa. O Orçamento do próximo ano prevê aplicação de cerca de R$ 102,2 milhões na ampliação de vagas, construção de albergues, reformas de penitenciárias e construção de mais três presídios, com 672 vagas cada um. No início de 2009, deve ser inaugurada a Penitenciária Regional de Santa Maria, com 336 vagas em regime fechado - obra orçada em R$ 7 milhões e 600 mil.No início deste ano, o governo do Estado entregou o novo pavilhão do Presídio Regional de Pelotas, com 152 vagas, utilizando recursos de R$ 1,4 milhão, e as obras de reforma e reestruturação do Presídio Estadual de Espumoso, com a recuperação de 54 vagas. Em setembro, foi entregue a nova Penitenciária Regional de Caxias do Sul, orçada em R$ 15 milhões e com capacidade para 432 apenados em regime fechado. Para a construção de outras sete casas prisionais, todas de regime fechado, o governo do Estado está acelerando os encaminhamentos administrativos e operacionais. Os projetos em andamento são os seguintes:
1) Penitenciária Estadual para Jovens e Adultos, em São Leopoldo, com capacidade para 421 apenados entre 18 e 24 anos.
2) Penitenciária Regional de Passo Fundo, com 336 vagas.
3) Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves, com 336 vagas.
4) Penitenciária Estadual de Lajeado, com 672 vagas.
5) Penitenciária Feminina Especial, em Guaíba, com 256 vagas.
6) Penitenciária Federal de Guaíba, com 208 a 421 vagas.
7) Penitenciária Estadual de Guaíba, com 672 vagas.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 18h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Força-tarefa em favor de presídios define primeiras frentes de atuação

Hoje ocorreu a primeira reunião de trabalho da força-tarefa criada para a reestruturação das prisões do Estado do Rio Grande do Sul, sob o comando da governadora Yeda Crusius. Entre as primeiras medidas a serem adotados estão a ocupação gradual da nova Penitenciária Regional de Caxias do Sul, que começará na próxima semana e até o próximo mês de dezembro, deverão ser entregues as obras de amplicação do Presídio Central de Porto Alegre (PCPA), propiciando a ocupação dos quatro pavilhões que já estão prontos - com 492 vagas - e que dependem de obras na rede hidráulica, elétrica e outros implementos.
Além da nomeação e designação dos encargos dos cmponentes da força-tarefa, composta por representantes de dez secretarias e órgãos estaduais, além de outras sete entidades da sociedade civil e quatro prefeituras, também foram decididas cinco frentes de trabalho, cujo foco é a abertura imediata de novas vagas no sistema prisional e a melhoria nas condições estruturais dos estabelecimentos penais.
Segundo a governadora, já para o final deste ano, estaremos capacitados a entregar 1.200 novas vagas, contando com as obras no Presídio Central, a Penitenciária de Santa Maria e a de Caxias do Sul, e para o próximo ano, a iniciar a construção das demais prisões previstas, que permitirão a criação de outras 1.500 vagas.
Para o secretário da Segurança Pública, Edson Goularte, as frentes de trabalho com atuação simultânea em um primeiro momento, são as seguintes:
1) Presídio Central de Porto Alegre: entregar até dezembro próximo as obras de ampliação e reforma, permitindo 492 novas vagas. Foram apressadas as providências envolvendo questões de energia, abastecimento de água e tratamento de esgotos.
2) Desentrave de questões jurídicas e municipais nas cidades já selecionadas para abrigar novos presídios: Bento Gonçalves (336 vagas), Lajeado (672 vagas), Passo Fundo (336 vagas) e Guaíba, com uma penitenciária estadual (672 vagas), uma penitenciária feminina (256 vagas) e uma penitenciária federal (de 208 a 421 vagas). A ocupação do Presídio de Caxias do Sul (432 vagas) começa no próximo dia 20 de outubro.
3) Ampliação de vagas através de construção e reformas de presídios e albergues: Caxias do Sul (78 vagas), Charqueadas (78 vagas), Carazinho (64 vagas), Porto Alegre (148 vagas masculinas e 266 femininas), Espumoso (54 vagas), Novo Hamburgo (74 vagas), Osório (160 vagas), Venâncio Aires (78 vagas) e Viamão (80 vagas).
4) Eliminação das interdições por problemas de infra-estrutura nas casas prisionais de Charqueadas, Montenegro, Novo Hamburgo e Rio Grande.
Durante a reunião, também houve debates sobre a contratação de servidores para atuação nas áreas de saúde nos presídios, a possibilidade de incentivos para os municípios que abrigarem casas prisionais e o aprofundamento do diálogo com os prefeitos, através das subseções da Ordem dos Advogados do Brasil - RS, Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e União dos Vereadores do Rio Grande Sul (Uvergs).

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 18h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Governadora quer transformar o PCPA em casa de passagem

A governadora Yeda Crusius oficializou a força-tarefa que tratará dos presídios em cerimônia no Palácio Piratini na tarde desta segunda-feira. No final da solenidade, Yeda explicou que quatro medidas prioritárias já estão sendo estudadas pelos 21 integrantes do grupo. Uma delas é transformar o Central em um presídio de passagem, onde os detentos ficam alojados até o julgamento ou liberação para penas alternativas. Outra atitude diz respeito à colocação de transformadores no Presídio Central. O término do hospital ao lado da Colônia Penal de Charqueadas e a criação de vagas nas penitenciárias até dezembro também estão sendo estudados. A expectativa é a criação de 9,5 mil vagas? 5 mil delas para o semi-aberto. O mau tempo impossibilitou que parte do grupo visitasse o Presídio Central nesta tarde.


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 18h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Dia das Crianças para filhos de detentos do Instituto Miguel Dario
No próximo domingo os filhos de detentos do Instituto Penal Miguel Dario terão momentos especiais, em homenagem ao dia da criança. A programação prevê, na parte da manhã, apresentações de artes marciais e, à tarde, distribuição de doces, salgados e refrigerantes, brincadeiras e músicas. Além das atividades recreativas, serão oferecidos cortes de cabelos e outros serviços gratuitos. A previsão é de que cerca de cem crianças participem das festividades.O Instituto Penal Miguel Dario está localizado na Rua 1 - Beco dos Marianos, no bairro Agronomia. Abriga 264 detentos nos regimes aberto e semi-aberto e é dirigido por Rubiara Valdonir Costa. Mais de 60% dos albergados cursam os ensinos fundamental e médio, nos turnos da manhã, tarde e noite. Já o trabalho prisional é realizado através de PACs (Protocolos de Ação Conjunta) com a SMAN, Carris, Detran e Renova Lavanderia, onde 86 detentos efetuam trabalho externo, e o restante, trabalho interno.


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 19h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Deputados Visitarão Presídios

Comissões de Serviços Públicos e de Cidadania e Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado também vão verificar as condições do Presídio Central de Porto Alegre, em visita marcada para a próxima terça-feira. A sugestão partiu do deputado estadual Fabiano Pereira do PT e o juiz Sidinei Brzuska (responsável pela fiscalização do sistema penitenciário da região metropolitana) será convidado. A deputada Stela Farias do PT, justifica a visita pela situação de calamidade que se encontra o Presídio Central. "Poderemos contribuir com sugestões e auiliar na busca de soluções imediatas para o problema. Não é possível que fiquemos apenas aguardando a construção de novos presídios".
Mais recursos materiais, humanos e financeiros é só o que falta ao sistema penitenciário gaúcho. E menos burocracia também. Com a decretação da situação de emergência se pretende driblar um pouco o emaranhado de normas que acabam por provocar grande demora e até inviabilizar a busca de soluções. O que o sistema penitenciário menos precisa é de gente criticando, aparecendo na mídia e não contribuindo com nada.


Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 19h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Evento no Instituto Penal Irmão Miguel Dario

Dia das Crianças para filhos de detentos do Instituto Miguel Dario

No próximo domingo os filhos de detentos do Instituto Penal Miguel Dario terão momentos especiais, em homenagem ao dia da criança. A programação prevê, na parte da manhã, apresentações de artes marciais e, à tarde, distribuição de doces, salgados e refrigerantes, brincadeiras e músicas. Além das atividades recreativas, serão oferecidos cortes de cabelos e outros serviços gratuitos. A previsão é de que cerca de cem crianças participem das festividades.

O Instituto Penal Miguel Dario está localizado na Rua 1 - Beco dos Marianos, no bairro Agronomia. Abriga 264 detentos nos regimes aberto e semi-aberto e é dirigido por Rubiara Valdonir Costa. Mais de 60% dos albergados cursam os ensinos fundamental e médio, nos turnos da manhã, tarde e noite. Já o trabalho prisional é realizado através de PACs (Protocolos de Ação Conjunta) com a SMAN, Carris, Detran e Renova Lavanderia, onde 86 detentos efetuam trabalho externo, e o restante, trabalho interno.



Categoria: Sistema Penitenciário
Escrito por Cavalcanti às 21h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mais Visitas

Deputados Visitarão Presídios

 

Comissões de Serviços Públicos e de Cidadania e Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado também vão verificar as condições do Presídio Central de Porto Alegre, em visita marcada para a próxima terça-feira. A sugestão partiu do deputado estadual Fabiano Pereira do PT e o juiz Sidinei Brzuska (responsável pela fiscalização do sistema penitenciário da região metropolitana) será convidado. A deputada Stela Farias do PT, justifica a visita pela situação de calamidade que se encontra o Presídio Central. "Poderemos contribuir com sugestões e auiliar na busca de soluções imediatas para o problema. Não é possível que fiquemos apenas aguardando a construção de novos presídios".

Mais recursos materiais, humanos e financeiros é só o que falta ao sistema penitenciário gaúcho. E menos burocracia também. Com a decretação da situação de emergência se pretende driblar um pouco o emaranhado de normas que acabam por provocar grande demora e até inviabilizar a busca de soluções. O que o sistema penitenciário menos precisa é de gente criticando, aparecendo na mídia e não contribuindo com nada.

 
 
 


Escrito por Cavalcanti às 07h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ontem a Fundação Patronato Lima Drumond completou 61 anos. Como sempre acontece, a Sra. Maria Tavares estava presente, aos 97 anos de idade, apesar de estar com a sua saúde debilitada. Maria Tavares inclusive estava hospitalizada e seu filho conseguiu uma breve liberação dos médicos para poder participar das festividades. O presidente da Fundação, Nício Brasil Lacorte falou sobre o estabelecimento penal, considerando-o como modelo em meio a tantos problemas no sistema penitenciário gaúcho. O Patronato Lima Drumond tem um limite de vagas - em torno de 80 - e não passa disso. Também só recolhe apenados que mantém um bom comportamento e que demonstre vontade de trabalhar.


Nossos parabéns à direção, servidores, ao presidente e aos conselheiros da Fundação Patronato Lima Drumond pelos brilhantes serviços prestados à sociedade gaúcha.



Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 05h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A decisão da governadora Yeda Crusius de decretar situação de emergência nos presídios gaúchos proposta defendida ainda na gestão do ex-secretário José Francisco Mallmann chega com alguns meses de atraso, o que contribuiu para agravar ainda mais os aspectos explosivos do problema e os riscos para a sociedade. Ainda assim, demonstra pelo menos o reconhecimento oficial de que a situação é crítica e precisa ser enfrentada de imediato, sem rodeios. Como as saídas já estão definidas e consistem na construção de novas penitenciárias, e como os recursos já estão acertados entre governos federal e estadual, a necessidade agora se restringe a vontade política para colocá-las em prática.Caótica há alguns anos, a situação das prisões tornou-se insustentável a partir do momento em que celas com capacidade para oito prisioneiros no Presídio Central, em Porto Alegre, passaram a abrigar até 38 pessoas. Criou-se assim uma situação equivalente a um misto de África, em guerra civil, e Afeganistão, como desabafou emocionado o juiz responsável pela fiscalização dos presídios na Região Metropolitana, Sidinei José Brzuska, em entrevista publicada em Zero Hora no último domingo. O relato de presidiários amontoados sobre sujeira e esgoto, sem colchonetes em número suficiente, deu mais dramaticidade e realismo a uma situação que parte da sociedade prefere ignorar. A punição por crimes cometidos, porém, não pode ser confundida com tratamento desumano, como o dispensado no Central e em outras prisões gaúchas.Não basta, de qualquer forma, que aos recursos some-se a vontade política agora anunciada para reconstruir o sistema prisional, adequando-o às imposições de uma realidade na qual há mais crimes e também mais necessidade de vagas nas cadeias em condições de ressocializar os prisioneiros. É preciso que sejam vencidas também resistências como as de muitos municípios, que se recusam a abrigar novas casas prisionais.A criação de uma força-tarefa e a decretação de situação de emergência podem contribuir para que os investimentos em novos presídios andem mais rápido. Ainda assim, os resultados concretos vão depender mesmo é do grau de força de vontade do poder público e da sociedade a partir de agora.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Há R$ 100 milhões para RS

O diretor do Departamento Penitenciário Nacional, o gaúcho Airton Michels, garantiu ontem que não faltam recursos para a abertura de vagas nos presídios, mas afirmou que o Estado não providenciou as obras previstas. Segundo ele, há R$ 100 milhões para o sistema penitenciário gaúcho, dos quais R$ 60 milhões já alocados A diretora-geral da Secretaria da Segurança Pública, Clarice Helena Padilha, disse que, embora tenha havido liberação de verba, obras em Bento Gonçalves e Lajeado foram embargadas pela Justiça.

Ou seja, a mesma justiça que cobra medidas do Executivo, embarga obras que já possuem recursos para a sua execução e também contesta a legalidade de construir prisões sem licitação, aproveitando-se da decretação de emergência. Assim é difícil construir algo. Fácil é só criticar e mandar fazer.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h03
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ontem foi criada pela governadora Yeda Cusius uma força-tarefa no sentido de buscar soluções urgentes para as prisões gaúchas mais problemáticas. Também foi decretada a situação de emergência no sistema penitenciário gaúcho, o que deverá possibilitar a construção de mais penitenciárias, reformas e solucionar os problemas do Presídio Central que impedem a ocupação dos novos pavilhões, que proporcionarão mais 492 vagas.
A medida foi tomada após uma série de consultas envolvendo líderes políticos do governo e representantes de entidades como Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública e prefeituras. ? Na prática, a situação de emergência possibilitará que projetos sejam feitos sem passar por licitação usual. Queremos aumentar o número de vagas no sistema prisional ? afirmou Yeda, acompanhada do chefe de Casa Civil, José Alberto Wenzel, do secretário-geral de Governo, Erik Camarano, do líder do governo na Assembléia Legislativa, Pedro Westphalen (PP), e da líder do PSDB na Assembléia, Zilá Breitenbach.
Esta decisão veio após a inspeção realizada pelo juiz Sidinei Brzuska no Presídio Central e que originou a reportagem na Zero Hora do último domingo. O juiz ficou horrorizado com o que viu, segundo uma entrevista concedida ao jornal.? A sensação que se tem é de que as galerias do Central são um misto de África, em guerra civil, e Afeganistão ? definiu o juiz. Ontem, após tomar conhecimento da decisão da governadora, Brzuska fez um alerta: ? Acho importante que o Executivo tome iniciativa em resolver um problema crônico, que é de sua responsabilidade, mas o Presídio Central é a chaga exposta de um problema que se verifica em várias regiões. Espero que o governo tenha coragem de superar questões paroquiais que surgirão contra a construção de novas casas prisionais que se fazem necessárias. As novas prisões previstas para o Estado
Em fase de projeto
? Penitenciária Estadual para Jovens e Adultos, em São Leopoldo, 421 vagas para apenados entre 18 e 24 anos
? Penitenciária Regional de Passo Fundo, 336 vagas ? Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves, 336 vagas
? Penitenciária Estadual de Lajeado, 672 vagas
? Penitenciária Feminina Especial, em Guaíba, 256 vagas
? Penitenciária Federal de Guaíba, 208 vagas ? Penitenciária Estadual de Guaíba, 672 vagas Concluído
? Penitenciária Regional de Caxias do Sul, 432 vagas Em fase de construção
? Penitenciária Regional de Santa Maria, 336 vagas Recursos 2008
? Para as penitenciárias de Guaíba, São Leopoldo e Lajeado ? R$ 88 milhões ? R$ 80 milhões de convênios com a União e R$ 8 milhões próprios 2009
? Para a construção das demais casas prisionais e reformas nas demais ? R$ 102 milhões, orçamento do Estado Conseqüências da decretação de emergência.
? As licitações, obrigatórias em qualquer obra pública, tornariam lento o processo para as obras. São necessários 90 dias para as empresas interessadas apresentarem propostas, depois mais prazo para recurso em caso de discordância.
? A situação de emergência libera de licitação boa parte das obras, o que faz o governo acreditar que haverá mais agilidade nas obras
? O decreto também abre a possibilidade de se buscar recursos a mais do governo federal.

Escrito por userID: 423994436800firstName: Antonio Carlos às 04h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Filha Gremistona

Grêmio

Nada Pode Ser Maior

Imortal Tricolor

Algumas grandes alegrias da minha vida, entre tantas outras.

Em 1987 nasceu minha filha. Dei-lhe o nome de Laura. Acho que fui muito feliz na escolha. Mas não podia imaginar que iria ser tão linda. Desde os primeiros minutos de vida, aqueles olhos azuis cintilando. Imagem guardada para sempre na memória. Sua escolha clubística não poderia ser outra. GREMISTONA.

Vai em todos os jogos, gosta de ir pra galera, fazer avalanche...

Outro dia, antes de mais um jogo do imortal tricolor, fomos almoçar e Laura estava com a camisa do Timão. Linda aquela camisa tricolor e o azul dos olhos combinando.

Momentos felizes, consagradores como esse é que dão um sabor todo especial à vida. Fiquei feliz por ser gremista, por ter uma filha tão linda e por ela ter feito a escolha certa. Não iria combinar os seus olhos azuis com aquela horrorosa camisa vermelha do arquirival....



Categoria: Família
Escrito por Cavalcanti às 14h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Saúde e Qualidade de Vida

Os Dez Mandamentos para Manter a Saúde Segundo Especialistas
 
Os dez mandamentos de Nuno Cobra, preparador físico.

1- Durma pelo menos oito horas e tente acordar sem despertador. "Ele é uma agressão ao organismo".
2- Alimente-se em pequenas quantidades a cada três horas.
3- Cheire a comida, pegue as folhas com as mãos e mastigue o mais devagar possível.
4- Exerça alguma atividade física pelo menos três vezes por semana. Uma hora de caminhada pode ser praticada por qualquer pessoa, em qualquer lugar, e é suficiente para obter os benefícios do esporte.
5- Evite ficar nervoso. Em situações de stress, experimente bocejar e espreguiçar.
6- Dedique pelo menos quinze minutos do dia à meditação. Escolha um local silencioso, sente-se numa posição confortável e se esqueça da vida.
7- Tome ao menos dois banhos frios por dia. Esse hábito é energizante.
8- Nenhum tratamento irá funcionar se você não abandonar seus vícios, a começar pelo cigarro.
9- Quando fizer exercícios físicos, concentre-se apenas neles. Não leia enquanto pedala na bicicleta nem ouça música enquanto corre.
10- Preste atenção ao fluxo de ar que entra e sai de seu pulmão e procure respirar mais profundamente.
Faça elogios com mais freqüência. Essa tática funciona como um ímã e faz com que todos queiram estar a seu lado.

Os cinco mandamentos de Alfredo Halpern, endocrinologista.

1- Não se culpe por ser gordo. Procure ajuda e emagreça.
2- Fuja das fórmulas mágicas e das dietas milagrosas. O que vale é aprender a comer.
3- Não há alimento proibido. O segredo é não exagerar em nada.
4- É possível comer bem e ter um peso normal.
5- Obesidade é uma doença e, às vezes, seu tratamento requer a intervenção de medicamentos. Mas lembre-se: eles precisam ser receitados por um médico.

Os cinco mandamentos de Fernanda Lima e Ari Stiel Radu, reumatologistas.

1- Não pratique exercícios em locais expostos à poluição, como avenidas movimentadas. Escolha horários com menos tráfego ou deixe para se exercitar em casa, numa esteira, por exemplo.
2- A regularidade traz mais benefícios à saúde do que a intensidade da atividade física.
3- Fique atento à postura. Se você não se cuidar, todo o esforço com atividades fisicas poderá ser em vão.
4- Seja paciente com seu corpo. Em um mês, você não vai recupar o atraso de dez anos.
5- Evite exercitar-se em horários de calor excessivo, para não sofrer desidratação.

Os cinco mandamentos de Mauricio Hirata, clínico geral.

1- Arrume um espaço na agenda para fazer ginástica, como o horário do almoço.
2- Coma alimentos saudáveis. Se for o caso, leve a comida de casa.
3- Ponha um comedouro para pássaros na janela de sua casa ou apartamento e observe os movimentos dos animais. "É excelente para relaxar".
4- Não perca muito tempo de seu dia no trânsito. Se você mora longe do trabalho, mude-se para mais perto.
5- Deixe a janela do quarto entreaberta se você tem dificuldade em acordar de manhã. A luz ajuda o cérebro a perceber que já é dia.

Os cinco mandamentos de Tânia Rodrigues, nutricionista.

1- Acostume-se a beber mais água. Deixe um litro sobre a mesa de trabalho e outr o dentro do carro.
2- Inclua pelo menos três frutas na alimentação diária. Elas garantem quantidades mínimas de vitaminas, fibras e minerais, que ajudam a prevenir diversos tipos de câncer.
3- Não saia de casa sem se alimentar. Se sua refeição for apenas um cafezinho, pelo menos acrescente um pouco de leite à xícara.
4- O jantar deve ser a refeição mais leve do dia. Se você tem mais fome à noite, faça um esforço e coma menos nesse horário. O corpo se acostumará e você terá mais apetite de manhã.
5- Coma uma pequena porção de algum alimento rico em carboidrato trinta minutos antes das atividades físicas. Isso vai melhorar seu rendimento .

Os cinco mandamentos de Hong Jin Pai, acupunturista.

1- Reclamar da vida só causa stress. Em vez de resmungar porque faz frio, vista um agasalho.
2- Passamos a maior parte do dia no trabalho. Por isso, você precisa amar o que faz.
3- Aproveite o trânsito para escutar alguma música que goste, estudar um idioma ou, se não estiver dirigindo, leia.
4- Seja otimista. Lembre-se de que todas as crises são passageiras.
5- A terceira idade deve ser a melhor fase da vida. Estude, exercite-se e leia. Ficar parado só acelera o envelhecimento.


Escrito por Cavalcanti às 23h10
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Sul, PORTO ALEGRE, PETROPOLIS, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Música, Cinema e vídeo, Futebol
Histórico
Categorias
  Todas as Categorias
  Família
  Sistema Penitenciário
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  Zero Hora
  Correio do Povo
  SUSEPE
  Sonora
  Amapergs
  Buho21
  Blog da Rosane de Oliveira
  Blog do Paulo Sant'ana
  Blog do Wianey Carlet
  Estante Virtual
  Anonymus Gourmet
  Blog do Túlio Milmann
  Nova Corja
  Diário Gauche
  Blog do Anonymus Gourmet
  Blog do Fred
  Blog do Políbio Braga
  Blog do Josias de Souza
  Blog do David Coimbra
  Blog 4 Rodas
Votação
  Dê uma nota para meu blog



arcade games